Segurança no trânsito: tempo de resultados

Antônio Carlos Figueiredo Nardi Deborah Carvalho Malta Elisete Duarte Leila Posenato Garcia Sobre os autores

A 2ª Conferência Global de Alto Nível sobre Segurança no Trânsito: Tempo de Resultados foi realizada em Brasília, nos dias 18 e 19 de novembro de 2015. O evento contou com mais de 2.200 participantes, de 136 países, incluindo os Ministros e Chefes de Delegação dos países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU), assim como representantes de organizações internacionais, da sociedade civil e do setor privado.

A conferência faz parte das atividades da Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2011-2020, liderada pela ONU. O evento foi organizado por um comitê coordenado pelo Ministério da Saúde, com a participação de oito ministérios e em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o grupo de países Amigos da Década.

O balanço das iniciativas nacionais, regionais e internacionais apresentadas na conferência reforça que a ação global para a prevenção dos acidentes e da morbimortalidade relacionada a estes agravos tem sido insuficiente, apesar dos avanços logrados. Esta constatação contribuiu para a definição da meta de reduzir as mortes e lesões no trânsito em 50% até 2020, como parte da Agenda de Desenvolvimento Sustentável 2030.11. United Nations. Transforming our World: the 2030 agenda for sustainable development: A/RES/70/1 [Internet]. New York: United Nations; 2015 [cited 2015 Nov 20]. Available from: Available from: https://sustainabledevelopment.un.org/content/documents/21252030%20Agenda%20for%20Sustainable%20Development%20web.pdf
https://sustainabledevelopment.un.org/co...

A OMS lançou, no evento, o 3º Relatório da Situação Global sobre Segurança Viária , que destaca a elevada carga de morbimortalidade vinculada aos acidentes de trânsito. Este relatório destaca que, a cada ano, ocorrem no mundo mais de 1,2 milhão de mortes por acidentes de trânsito, que representam a principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos.22. World Health Organization. Global status report on road safety 2015 [Internet]. Geneva: WHO; 2015 [cited 2015 Nov 20]. Available from: Available from: http://www.who.int/violence_injury_prevention/road_safety_status/2015/en/
http://www.who.int/violence_injury_preve...
Artigo publicado neste número da RESS, que discute as tendências da mortalidade de jovens no Brasil, revela que esses acidentes foram a principal causa de morte entre jovens do sexo feminino e a segunda principal causa entre jovens do sexo masculino, no período de 2000 a 2012.33. Neves ACM, Garcia LP. Mortalidade de jovens brasileiros: perfil e tendências no período 2000-2012. Epidemiol Serv Saude. 2015 out-dez;24(4):595-606.

Para que os acidentes de trânsito deixem de ser causa de tantas perdas, o país deverá enfrentar importantes desafios. Estes incluem, além da adoção de legislação adequada e medidas para garantir o cumprimento das leis, o investimento em infraestrutura segura nas estradas e vias urbanas, o controle do excesso de velocidade, o enfrentamento do consumo abusivo de álcool e a garantia do atendimento às vítimas. É preciso, ainda, estabelecer metas locais de redução dos acidentes, sendo essencial o monitoramento dos indicadores de morbimortalidade. A Declaração de Brasília sobre Segurança no Trânsito ,44. Declaração de Brasília. In: 2ª Conferência Global de Alto Nível sobre Segurança no Trânsito: tempo de resultados [Internet]; 2015 nov 18-19; Brasília. Brasília: Ministério das Relações Exteriores; 2015. Disponível em: http://www.itamaraty.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12508:segunda-conferencia-global-de-alto-nivel-sobre-seguranca-no-transito&catid=42:notas&lang=pt-BR&Itemid=280
http://www.itamaraty.gov.br/index.php?op...
aprovada durante a conferência, reafirma e amplia o compromisso dos países para a redução da morbimortalidade. O documento foi inovador, ao propor a priorização dos modos sustentáveis de transporte e destacar a segurança de pedestres, ciclistas, motociclistas e usuários de transporte público - usuários vulneráveis, que correspondem a mais da metade das vítimas fatais no mundo.

Já em 2010, o governo brasileiro criou, por meio do Ministério da Saúde, o Projeto Vida no Trânsito (PVNT), objetivando reduzir lesões e óbitos no trânsito em cinco capitais brasileiras: Palmas-TO, Teresina-PI, Belo Horizonte-MG, Curitiba-PR e Campo Grande-MS. O PVNT integra o conjunto de intervenções do Plano Nacional da Década de Ações pela Segurança no Trânsito. Entre as ações do programa, inclui-se a qualificação dos dados sobre morbimortalidade e sua análise, para retroalimentação do desenho das intervenções.55. Silva MMA, Morais Neto OL, Lima CM, Malta DC, Silva Júnior JB, Grupo Técnico de Parceiros do Projeto Vida no Trânsito. Projeto Vida no Trânsito - 2010 a 2012: uma contribuição para a Década de Ações para a Segurança no Trânsito 2011-2020 no Brasil. Epidemiol Serv Saude. 2013 jul-set;22(3):531-6.

Uma ferramenta importante para a qualificação das informações é o relacionamento de bases de dados, tema do artigo da série Aplicações da Epidemiologia que integra esta edição da RESS.66. Coeli CM, Pinheiro RJ, Camargo Júnior KR. Conquistas e desafios para o emprego das técnicas de record linkage na pesquisa e avaliação em saúde no Brasil. Epidemiol Serv Saude. 2015 out-dez;24(4):789-96.

O presente número da RESS traz, ainda, uma resenha77. Nardi ACF, Malta DC, Souza MFM, Duarte E, Ferreira HL, Duarte EC, et al. Resenha do livro Saúde Brasil 2014: uma análise da situação de saúde e das causas externas. Epidemiol Serv Saude. 2015 out-dez;24(4):801-2. da publicação completa Saúde Brasil 2014: uma análise da situação de saúde e das causas externas ,88. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Saúde Brasil 2014: uma análise da situação de saúde e das causas externas no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2015. cuja versão curta, contendo os capítulos que tratam das causas externas e compõem a segunda parte desta publicação, foi lançada na conferência, em inglês e espanhol.99. Ministry of Health of Brazil (BR). Health Surveillance Secretariat. Health Situation Analysis Department. Health Brazil 2014: a situational analysis of road injuries and other external causes. Brasília: Ministry of Health of Brazil; 2015.-1010. Ministerio de Salud de Brasil (BR). Secretaria de Vigilancia en Salud. Departamento de Analisis de la Situación en Salud. Salud Brasil 2014 : un análisis de la morbimortalidad por causas externas. Brasília: Ministerio de Salud de Brasil; 2015.

A efetividade das ações voltadas à redução da morbimortalidade no trânsito depende do adequado planejamento destas atividades, o qual, por sua vez, deve ser baseado em análises robustas, a partir do registro dos dados sobre lesões e óbitos nos sistemas de informação em saúde, assim como nos inquéritos. Nesse contexto, informações de boa qualidade podem contribuir para o aprimoramento das ações de vigilância voltadas à prevenção da morbimortalidade no trânsito. A participação dos trabalhadores da saúde, especialmente no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), assim como a mobilização de toda a sociedade, são fundamentais para a obtenção de avanços mais rápidos em relação à preocupante realidade nacional. Desse modo, será possível prevenir lesões e poupar vidas, alcançando-se as metas propostas para a redução da morbimortalidade no trânsito no país.

  • 1
    United Nations. Transforming our World: the 2030 agenda for sustainable development: A/RES/70/1 [Internet]. New York: United Nations; 2015 [cited 2015 Nov 20]. Available from: Available from: https://sustainabledevelopment.un.org/content/documents/21252030%20Agenda%20for%20Sustainable%20Development%20web.pdf
    » https://sustainabledevelopment.un.org/content/documents/21252030%20Agenda%20for%20Sustainable%20Development%20web.pdf
  • 2
    World Health Organization. Global status report on road safety 2015 [Internet]. Geneva: WHO; 2015 [cited 2015 Nov 20]. Available from: Available from: http://www.who.int/violence_injury_prevention/road_safety_status/2015/en/
    » http://www.who.int/violence_injury_prevention/road_safety_status/2015/en/
  • 3
    Neves ACM, Garcia LP. Mortalidade de jovens brasileiros: perfil e tendências no período 2000-2012. Epidemiol Serv Saude. 2015 out-dez;24(4):595-606.
  • 4
    Declaração de Brasília. In: 2ª Conferência Global de Alto Nível sobre Segurança no Trânsito: tempo de resultados [Internet]; 2015 nov 18-19; Brasília. Brasília: Ministério das Relações Exteriores; 2015. Disponível em: http://www.itamaraty.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12508:segunda-conferencia-global-de-alto-nivel-sobre-seguranca-no-transito&catid=42:notas&lang=pt-BR&Itemid=280
    » http://www.itamaraty.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12508:segunda-conferencia-global-de-alto-nivel-sobre-seguranca-no-transito&catid=42:notas&lang=pt-BR&Itemid=280
  • 5
    Silva MMA, Morais Neto OL, Lima CM, Malta DC, Silva Júnior JB, Grupo Técnico de Parceiros do Projeto Vida no Trânsito. Projeto Vida no Trânsito - 2010 a 2012: uma contribuição para a Década de Ações para a Segurança no Trânsito 2011-2020 no Brasil. Epidemiol Serv Saude. 2013 jul-set;22(3):531-6.
  • 6
    Coeli CM, Pinheiro RJ, Camargo Júnior KR. Conquistas e desafios para o emprego das técnicas de record linkage na pesquisa e avaliação em saúde no Brasil. Epidemiol Serv Saude. 2015 out-dez;24(4):789-96.
  • 7
    Nardi ACF, Malta DC, Souza MFM, Duarte E, Ferreira HL, Duarte EC, et al. Resenha do livro Saúde Brasil 2014: uma análise da situação de saúde e das causas externas. Epidemiol Serv Saude. 2015 out-dez;24(4):801-2.
  • 8
    Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Saúde Brasil 2014: uma análise da situação de saúde e das causas externas no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.
  • 9
    Ministry of Health of Brazil (BR). Health Surveillance Secretariat. Health Situation Analysis Department. Health Brazil 2014: a situational analysis of road injuries and other external causes. Brasília: Ministry of Health of Brazil; 2015.
  • 10
    Ministerio de Salud de Brasil (BR). Secretaria de Vigilancia en Salud. Departamento de Analisis de la Situación en Salud. Salud Brasil 2014 : un análisis de la morbimortalidad por causas externas. Brasília: Ministerio de Salud de Brasil; 2015.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    Oct-Dec 2015
Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde do Brasil Brasília - Distrito Federal - Brazil
E-mail: leilapgarcia@gmail.com