Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua): avaliação da completitude dos dados sobre cobertura de abastecimento, 2014-2020

Sistema de Información de Vigilancia de la Calidad del Agua para Consumo Humano (Sisagua): evaluación de la finalización de los datos de cobertura del abastecimiento de agua, Brasil, 2014-2020

Renan Neves da Mata Aristeu de Oliveira Júnior Walter Massa Ramalho Sobre os autores

Resumo

Objetivo:

Avaliar a completitude do conjunto de dados do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua) referente às informações sobre a cobertura de abastecimento de água para consumo humano no Brasil.

Métodos:

Estudo descritivo, sobre dados de 2014 a 2020. Foi calculada distribuição de frequência relativa de 35 variáveis. A completitude foi mensurada como excelente (≥ 95%), boa (90% a 94%), regular (70% a 89%), ruim (50% a 69%) e muito ruim (≤ 49%).

Resultados:

No período, foram identificados 861.250 registros de formas de abastecimento. O Sisagua, quanto à completitude dos dados, obteve uma classificação excelente para 25 variáveis, boa para duas, regular para três, ruim para uma e muito ruim para quatro.

Conclusão:

O sistema apresentou, em grande parte das variáveis, excelente completitude dos dados. Estudos dessa natureza contribuem para o aperfeiçoamento contínuo do Sisagua e possibilitam a identificação de inconsistências e fragilidades.

Palavras-chave:
Água Potável; Sistemas de Informação em Saúde; Vigilância em Saúde Pública; Saúde Ambiental; Epidemiologia Descritiva

Resumen

Objetivo:

Evaluar la completitud del conjunto de datos del Sistema de Información para la Vigilancia de la Calidad del Agua para Consumo Humano (Sisagua), con relación a la información sobre la cobertura de abastecimiento de agua para consumo humano en Brasil.

Métodos:

Estudio descriptivo referido a datos de 2014 a 2020. Se calcularon distribuciones de frecuencias relativas de 35 variables. La completitud se midió como excelente (≥ 95%), buena (90% a 94%), regular (70% a 89%), mala (50% a 69%) y muy mala (≤ 49%).

Resultados:

En el período, hubo 861.250 registros de formas de suministro. Sisagua, en cuanto a la completitud de los datos, obtuvo una clasificación excelente para 25 variables, buena para dos, regular para tres, mala para una y muy mala para cuatro variables.

Conclusión:

El sistema presentó en la mayoría de las variables una excelente completitud de los datos. Estudios de esta naturaleza contribuyen a la mejoría continua de Sisagua y permiten identificar inconsistencias y debilidades.

Palabras clave:
Agua Potable; Sistemas de Información en Salud; Vigilancia en Salud Pública; Salud Ambiental; Epidemiología Descriptiva

Contribuições do estudoPrincipais resultados

O Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua) apresentou, para grande parte das variáveis, excelente completitude dos dados: excelente (25), boa (2), regular (3), ruim (1) e muito ruim (4).

Implicações para os serviços

A avaliação da completitude do Sisagua possibilita verificar a qualidade dos dados do sistema, bem como identificar pontos a serem melhorados, respaldando seu uso nas ações de vigilância da qualidade da água para consumo humano.

Perspectivas

A incompletitude de algumas variáveis do Sisagua aponta para a necessidade de aprimoramento contínuo do sistema e de investimento no processo de capacitação dos usuários e conscientização da importância do preenchimento adequado dos campos.

Introdução

O Ministério da Saúde atua no monitoramento da qualidade da água consumida pela população, por meio do Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua).11. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Vigilância em Saúde Ambiental. Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano. Brasília: Ministério da Saúde; 2005. (Série C. Projetos, programas e relatórios). Um dos instrumentos do Vigiagua é o Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), disponibilizado para que secretarias de saúde e empresas prestadoras de serviço de abastecimento de água insiram os respectivos dados de monitoramento.22. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Vigilância em Saúde Ambiental. Água. Brasília: Ministério da Saúde; 2021. [atualização 2021 mar 19; citado 2021 dez 19]. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/a/agua
https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/...

No Sisagua, é possível o cadastro de três formas de abastecimento: Sistema de Abastecimento de Água (SAA), cuja instalação é destinada à produção e ao provimento coletivo de água potável, por meio de rede de distribuição; Solução Alternativa Coletiva (SAC), que se trata de uma modalidade de abastecimento coletivo, destinada a fornecer água potável, com ou sem canalização e sem rede de distribuição; e Solução Alternativa Individual (SAI), modalidade de abastecimento de água para consumo humano que atende a domicílios residenciais com uma única família.33. Oliveira Junior A, Magalhaes TB, Mata RN, Santos FSG, Oliveira DC, Carvalho JLB, et al. Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (SISAGUA): características, evolução e aplicabilidade. Epidemiol Serv Saude. 2019;28(1):e2018117. doi: 10.5123/S1679-49742019000100024
https://doi.org/10.5123/S1679-4974201900...

Em 2015, cerca de três a cada dez pessoas (2,1 bilhões de indivíduos, ou 29% da população mundial) ainda não tinham acesso a um serviço de água potável gerenciado de forma segura, e 844 milhões ainda não dispunham sequer de um serviço básico de água potável.44. United Nations Children's Fund, World Health Organization. Progress on household drinking water, sanitation and hygiene 2000-2017: special focus on inequalities [Internet]. New York: United Nations Children's Fund; 2019 [cited 2022 jan 25]. Available from: https://www.unicef.org/reports/progress-on-drinking-water-sanitation-and-hygiene-2019
https://www.unicef.org/reports/progress-...
,55. UNESCO World Water Assessment Programme. Relatório mundial das nações unidas sobre desenvolvimento dos recursos hídricos 2019: não deixar ninguém para trás, fatos e dados [Internet]. Colombella: UNESCO; 2019 [citado 2022 jan 25]. Disponível em: https://bit.ly/3PxPnSJ
https://bit.ly/3PxPnSJ ...

Os dados do Sisagua permitem obter informações, em nível nacional, sobre a cobertura de abastecimento de água para consumo humano no país; no entanto, são escassos estudos que avaliem a qualidade desses dados. O objetivo do presente estudo foi avaliar a completitude dos registros do Sisagua no período de 2014 a 2020.

Métodos

Estudo descritivo, sobre a completitude dos dados do Sisagua referentes à cobertura de abastecimento do sistema no Brasil. Esse conjunto de dados conta com informações sobre quantitativos de domicílios abastecidos por sistemas e soluções alternativas de abastecimento de água.

O período analisado foi o de 2014 a 2020, cujos dados são disponibilizados no Portal Brasileiro de Dados Abertos66. Ministério da Saúde (BR). Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água. SISAGUA - Cobertura de abastecimento [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2021 [citado 2021 dez 19]. Disponível em: https://dados.gov.br/dataset/sisagua-cobertura-de-abastecimento2
https://dados.gov.br/dataset/sisagua-cob...
e foram consultados em 19 de maio de 2021. A análise em tela seguiu critérios do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), segundo o qual a completitude de um sistema de informações em saúde consiste no grau de preenchimento de cada campo analisado e é mensurada pela proporção entre campos preenchidos e campos não preenchidos.77. Centers for Disease Control. Update guidelines for evaluation public health surveillance systems: recommendations from the guideline working group. MMWR. Recommendations and reports : Morbidity and mortality weekly report. Recommendations and reports; v. 50, no. RR-13. Atlanta: Centers for Disease Control; 2001 [cited 2022 jan 26]. Available from: https://stacks.cdc.gov/view/cdc/13376
https://stacks.cdc.gov/view/cdc/13376 ...

Para o processamento dos dados, utilizou-se o aplicativo Excel 365. A completitude de 35 variáveis foi calculada como a proporção de campos preenchidos em relação ao total dos registros para cada ano; posteriormente, foi feita a média dos resultados para representar o período analisado.

Na completitude inicial, o cálculo não considerou qualquer regra do Sisagua; o ordenamento das variáveis seguiu de forma decrescente, de acordo com esse resultado. Na completitude final, foram consideradas as regras do dicionário de variáveis66. Ministério da Saúde (BR). Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água. SISAGUA - Cobertura de abastecimento [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2021 [citado 2021 dez 19]. Disponível em: https://dados.gov.br/dataset/sisagua-cobertura-de-abastecimento2
https://dados.gov.br/dataset/sisagua-cob...
e dos manuais do Sisagua;88. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Saúde Ambiental do Trabalhador e Vigilância das Emergências em Saúde Pública. Manual do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano - SISAGUA: perfil vigiagua (vigilância em saúde) [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2020 [citado 2022 mar 15]. Disponível em: https://bit.ly/3vbEbCS
https://bit.ly/3vbEbCS ...
,99. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Saúde Ambiental do Trabalhador e Vigilância das Emergências em Saúde Pública. Manual do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano - SISAGUA: perfil empresa (prestadores de serviços de abastecimento de água) [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2020 [citado 2022 mar 15]. Disponível em: https://bit.ly/3vcv3Os
https://bit.ly/3vcv3Os ...
isto permitiu uma análise mais fidedigna, desde que foram aplicados os filtros necessários para verificar a pertinência ou não do preenchimento dos campos. A análise das variáveis ocorreu de forma individual; no entanto, os resultados agrupados devem-se às regras e à estrutura do sistema.

A incompletitude final correspondeu à subtração de 100% pelo valor encontrado no percentual médio da completitude final. A completitude foi classificada como excelente (≥ 95%), boa (90% a 94%), regular (70% a 89%), ruim (50% a 69%) e muito ruim (≤ 49%).1010. Romero DE, Cunha CB. Avaliação da qualidade das variáveis epidemiológicas e demográficas do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos. Cad Saude Publica. 2007;23(3):701-14. doi: 10.1590/S0102-311X2007000300028
https://doi.org/10.1590/S0102-311X200700...

Resultados

Entre 2014 e 2020, foram identificados 861.250 registros referentes às formas de abastecimento de água no Brasil, sendo 96.723 registros para SAA, 354.091 para SAC e 410.436 para SAI.

Tabela 1
Percentual anual de completitude final dos registros das formas de abastecimento de água, Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), 2014-2020

Os resultados (Tabelas 1 e 2) mostram que 14 variáveis (n = 35) foram classificadas como excelentes, pois tiveram 100,0% de completitude. Trata-se de variáveis de preenchimento obrigatório, com informações essenciais sobre o cadastro das formas de abastecimento.

Tabela 2
Percentual médio de completitude inicial e final dos registros das formas de abastecimento de água, Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), 2014-2020

A variável ‘número de economias residenciais (domicílios permanentes)’ apresentou 402 (0,1%) registros com campo vazio, sendo classificada como excelente. Para a variável ‘filtração’, foram identificados 40.306 (8,9%) registros vazios, e para a variável ‘desinfecção’, 44.061 (9,8%), sendo ambas, portanto, de boa completitude.

‘Cisterna’ e ‘captação de água de chuva’ são variáveis existentes apenas para SAC e SAI. As variáveis ‘caixa d'água’, ‘sem reservação’ e ‘população recebe água de SAA/SAC’ são variáveis presentes apenas em SAI. As variáveis ‘carro-pipa’, ‘chafariz’, ‘fonte’, ‘canalização’ e ‘população recebe água de SAA’ são exclusivas de SAC. Após filtrar essas variáveis, conforme suas regras de preenchimento, verificou-se uma completitude excelente (100,0%).

A variável ‘número de economias residenciais (de uso ocasional)’, presente apenas para SAA e SAC, possuía 105.354 registros vazios, 47,5% de incompletitude. As variáveis ‘tipo da instituição’, ‘nome da instituição’ e ‘CNPJ da instituição’ não continham registros para a forma de SAI e apresentaram incompletitude dos dados de 26,2% (118.279 registros) cada, tendo sido classificadas como de completitude regular.

As variáveis ‘sigla da instituição’, ‘nome do escritório regional/local’ e ‘CNPJ do escritório regional/local’, que são usadas apenas para as empresas estaduais e não estão presentes em SAI, possuíam 378.976 (84,1%) registros não preenchidos, configurando uma completitude muito ruim. Para a variável ‘outro tipo de suprimento’, a classificação também foi muito ruim, com 715.403 (93,6%) registros vazios.

Do total de 35 variáveis, 15 tiveram sua classificação ajustada após considerações das regras de preenchimento do Sisagua; e dessas 15, dez variáveis tiveram sua reclassificação para excelente após as devidas considerações sobre as regras de preenchimento.

Discussão

Considerando-se as regras de funcionamento do Sisagua, o sistema apresentou classificação excelente para 25 variáveis, boa para duas, regular para três, ruim para uma e muito ruim para quatro variáveis. O sistema apresentou, para grande parte das variáveis, uma excelente completitude dos dados. Semelhantemente à avaliação da completitude dos sistemas de informações sobre orçamentos públicos em saúde,1111. Feliciano M, Medeiros KJ, Damázio SL, Alencar FL, Bezerra AFB. Avaliação da cobertura e completitude de variáveis de Sistemas de Informação sobre orçamentos públicos em saúde. Saúde em Debate. 2019;43(121):341-53. doi: 10.1590/0103-1104201912104
https://doi.org/10.1590/0103-11042019121...
o presente estudo abordou uma dimensão da vigilância em saúde ainda não explorada. Diversas pesquisas verificaram a completitude de bases de dados epidemiológicos,1111. Feliciano M, Medeiros KJ, Damázio SL, Alencar FL, Bezerra AFB. Avaliação da cobertura e completitude de variáveis de Sistemas de Informação sobre orçamentos públicos em saúde. Saúde em Debate. 2019;43(121):341-53. doi: 10.1590/0103-1104201912104
https://doi.org/10.1590/0103-11042019121...

12. Siqueira PC, Maciel ELN, Catão RC, Brioschi AP, Silva TCC, Prado TN. Completude das fichas de notificação de febre amarela no estado do Espírito Santo, 2017. Epidemiol Serv Saude. 2020;29(3):e2019402. doi: 10.5123/S1679-49742020000300014
https://doi.org/10.5123/S1679-4974202000...

13. Canto VB, Nedel FB. Completude dos registros de tuberculose no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) em Santa Catarina, Brasil, 2007-2016. Epidemiol Serv Saude. 2020;29(3), e2019606. doi: 10.5123/S1679-49742020000300020
https://doi.org/10.5123/S1679-4974202000...

14. Rodrigues PL, Gama SGN, Mattos IE. Completitude e confiabilidade do Sistema de Informações sobre Mortalidade para óbitos perinatais no Brasil, 2011-2012: um estudo descritivo. Epidemiol Serv Saude. 2019;28(1): e2018093. doi: 10.5123/S1679-49742019000100007
https://doi.org/10.5123/S1679-4974201900...

15. Delziovo CR, Bolsoni CC, Lindner SR, Coelho EBS. Qualidade dos registros de violência sexual contra a mulher no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) em Santa Catarina, 2008-2013. Epidemiol Serv Saude. 2018;27(1):e20171493. doi: 10.5123/S1679-49742018000100003
https://doi.org/10.5123/S1679-4974201800...

16. Silva LMP, Santos TMB, Santiago SRV, Melo TQ, Cardoso MD. Análise da completitude das notificações de violência perpetradas contra crianças. J. Nurs UFPE on line. 2018;12(1):91-100. doi: 10.1590/1413-812320152112.16682015
https://doi.org/10.1590/1413-81232015211...

17. Cordeiro TMSC, D'Oliveira Júnior A. Data quality of the reporting of viral hepatitis caused by work-related accidents, Brazil. Rev Bras Epidemiol. 2018;21:e180006. doi: 10.1590/1980-549720180006
https://doi.org/10.1590/1980-54972018000...

18. Silva GDM, Bartholomay P, Cruz OG, Garcia LP. Avaliação da qualidade dos dados, oportunidade e aceitabilidade da vigilância da tuberculose nas microrregiões do Brasil. Cien Saude Colet. 2017;22(10),3307-19. doi: 10.1590/1413-812320172210.18032017
https://doi.org/10.1590/1413-81232017221...
-1919. Marques CA, Siqueira MM, Portugal FB. Assessment of the lack of completeness of compulsory dengue fever notifications registered by a small municipality in brazil. Cien Saude Colet. 2020;25(3),891-900. doi: 10.1590/1413-81232020253.16162018
https://doi.org/10.1590/1413-81232020253...
porém não foi encontrado estudo que tenha avaliado esse atributo para os dados do Sisagua.

A variável ‘número de economias residenciais (domicílios permanentes)’ apresentou registros vazios, mesmo sendo uma variável de preenchimento obrigatório, situação apresentada em todos os anos. Possivelmente, trata-se de uma falha persistente, de difícil identificação do problema e aplicação de uma resolução definitiva. Entretanto, o quantitativo de registros inconsistentes foi pouco e essa variável manteve a classificação como excelente; fato também observado na avalição da completitude das notificações de dengue (2007-2015) em Fundão/ES, onde foi identificado preenchimento abaixo de 100,0% nos campos obrigatórios.1919. Marques CA, Siqueira MM, Portugal FB. Assessment of the lack of completeness of compulsory dengue fever notifications registered by a small municipality in brazil. Cien Saude Colet. 2020;25(3),891-900. doi: 10.1590/1413-81232020253.16162018
https://doi.org/10.1590/1413-81232020253...

A adoção de medidas corretivas para dados inconsistentes dos sistemas de informações em saúde (SIS) é essencial no sentido de melhorar a credibilidade das informações, aperfeiçoando a veracidade dos indicadores e contribuindo para otimizar o planejamento das ações de saúde pública.2020. Ferreira JSA, Vilela MBR, Aragão PS, Oliveira RA, Tiné RF. Avaliação da qualidade da informação: linkage entre SIM e Sinasc em Jaboatão dos Guararapes (PE). Cien Saude Colet. 2011;16(supl.1):1241-6. doi: 10.1590/S1413-81232011000700056
https://doi.org/10.1590/S1413-8123201100...

Os registros em branco das variáveis ‘filtração’ e ‘desinfecção’ são resultantes de perguntas booleanas (sim; não), indicando sua existência ou não no processo de tratamento da água. Contudo, trata-se de um campo opcional para SAI: quando não é selecionada uma das opções, o campo não é preenchido e permanece vazio, ou seja, permanece em banco.

A variável ‘número de economias residenciais (de uso ocasional)’ apresentou completitude muito ruim, um resultado possivelmente relacionado ao fato de ser um dado de preenchimento opcional, além de muitas formas de abastecimento não apresentarem valor para essa variável. Algumas variáveis relacionadas às instituições responsáveis pelo abastecimento de água obtiveram resultados de completitude ruim ou muito ruim, o que pode estar relacionado ao fato de, para SAC, nem sempre haver uma instituição responsável pela forma de abastecimento.

A variável ‘outro tipo de suprimento’ apresentou o pior percentual de completitude. Essa variável faz parte de um conjunto de informações relacionadas ao tipo de suprimento da SAC ou SAI, tratando-se de um campo de preenchimento aberto e não obrigatório.

Assim como verificado neste estudo, outras pesquisas, a exemplo de uma avaliação dos registros de tuberculose no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), em Santa Catarina (2007-2016),1111. Feliciano M, Medeiros KJ, Damázio SL, Alencar FL, Bezerra AFB. Avaliação da cobertura e completitude de variáveis de Sistemas de Informação sobre orçamentos públicos em saúde. Saúde em Debate. 2019;43(121):341-53. doi: 10.1590/0103-1104201912104
https://doi.org/10.1590/0103-11042019121...
e outra sobre as notificações de violências perpetradas contra crianças no Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes (Viva), em Pernambuco (2009-2012),1414. Rodrigues PL, Gama SGN, Mattos IE. Completitude e confiabilidade do Sistema de Informações sobre Mortalidade para óbitos perinatais no Brasil, 2011-2012: um estudo descritivo. Epidemiol Serv Saude. 2019;28(1): e2018093. doi: 10.5123/S1679-49742019000100007
https://doi.org/10.5123/S1679-4974201900...
apontaram que, apesar de um número expressivo de variáveis ser de preenchimento obrigatório, o que corrobora uma excelente completitude dos dados, as variáveis de preenchimento opcional apresentam uma taxa elevada de incompletitude no banco de dados. Este achado torna necessária a adoção de medidas para melhorar tal resultado, pelo que vale considerar a obrigatoriedade de preenchimento dos campos, bem como investimentos na conscientização sobre a importância do preenchimento completo dos campos e a relevância das informações produzidas com esses dados.

A boa qualidade dos dados existentes nos SIS é crucial para o planejamento, tomada de decisões e monitoramento das ações de saúde. O Ministério da Saúde realiza investimentos permanentes para garantir sua operacionalização,1212. Siqueira PC, Maciel ELN, Catão RC, Brioschi AP, Silva TCC, Prado TN. Completude das fichas de notificação de febre amarela no estado do Espírito Santo, 2017. Epidemiol Serv Saude. 2020;29(3):e2019402. doi: 10.5123/S1679-49742020000300014
https://doi.org/10.5123/S1679-4974202000...

13. Canto VB, Nedel FB. Completude dos registros de tuberculose no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) em Santa Catarina, Brasil, 2007-2016. Epidemiol Serv Saude. 2020;29(3), e2019606. doi: 10.5123/S1679-49742020000300020
https://doi.org/10.5123/S1679-4974202000...

14. Rodrigues PL, Gama SGN, Mattos IE. Completitude e confiabilidade do Sistema de Informações sobre Mortalidade para óbitos perinatais no Brasil, 2011-2012: um estudo descritivo. Epidemiol Serv Saude. 2019;28(1): e2018093. doi: 10.5123/S1679-49742019000100007
https://doi.org/10.5123/S1679-4974201900...
-1515. Delziovo CR, Bolsoni CC, Lindner SR, Coelho EBS. Qualidade dos registros de violência sexual contra a mulher no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) em Santa Catarina, 2008-2013. Epidemiol Serv Saude. 2018;27(1):e20171493. doi: 10.5123/S1679-49742018000100003
https://doi.org/10.5123/S1679-4974201800...
e todo esse esforço e o investimento realizado são desperdiçados quando não ocorre a inserção das informações corretas nos sistemas.1919. Marques CA, Siqueira MM, Portugal FB. Assessment of the lack of completeness of compulsory dengue fever notifications registered by a small municipality in brazil. Cien Saude Colet. 2020;25(3),891-900. doi: 10.1590/1413-81232020253.16162018
https://doi.org/10.1590/1413-81232020253...
No caso do Sisagua, a ausência de informações prejudica a caracterização do abastecimento de água no país.

Este estudo apresenta, como limitações, diversas versões de estrutura de variáveis, dificultando a construção de séries históricas. Outrossim, trata-se de um sistema razoavelmente recente, até então com baixa produção científica a respeito, o que dificulta comparabilidades. O Sisagua possui uma construção lógica particular, diferentemente de outros sistemas, por não ser direcionada a um agravo, o que ainda pode trazer uma dificuldade no constructo epidemiológico tradicional.

Conclui-se que o Sisagua apresenta excelente completitude dos dados, embora revele pontos passíveis de aperfeiçoamento. Por ser tratar de um sistema complexo, é mister conhecer seu funcionamento e respectivas regras, visando a uma análise e interpretação fidedigna dos dados. Estudos dessa natureza contribuem para o aprimoramento contínuo do Sisagua e possibilitam a identificação de inconsistências e fragilidades na qualidade de seus dados.

Referências

  • 1
    Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Vigilância em Saúde Ambiental. Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano. Brasília: Ministério da Saúde; 2005. (Série C. Projetos, programas e relatórios).
  • 2
    Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Vigilância em Saúde Ambiental. Água. Brasília: Ministério da Saúde; 2021. [atualização 2021 mar 19; citado 2021 dez 19]. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/a/agua
    » https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/a/agua
  • 3
    Oliveira Junior A, Magalhaes TB, Mata RN, Santos FSG, Oliveira DC, Carvalho JLB, et al. Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (SISAGUA): características, evolução e aplicabilidade. Epidemiol Serv Saude. 2019;28(1):e2018117. doi: 10.5123/S1679-49742019000100024
    » https://doi.org/10.5123/S1679-49742019000100024
  • 4
    United Nations Children's Fund, World Health Organization. Progress on household drinking water, sanitation and hygiene 2000-2017: special focus on inequalities [Internet]. New York: United Nations Children's Fund; 2019 [cited 2022 jan 25]. Available from: https://www.unicef.org/reports/progress-on-drinking-water-sanitation-and-hygiene-2019
    » https://www.unicef.org/reports/progress-on-drinking-water-sanitation-and-hygiene-2019
  • 5
    UNESCO World Water Assessment Programme. Relatório mundial das nações unidas sobre desenvolvimento dos recursos hídricos 2019: não deixar ninguém para trás, fatos e dados [Internet]. Colombella: UNESCO; 2019 [citado 2022 jan 25]. Disponível em: https://bit.ly/3PxPnSJ
    » https://bit.ly/3PxPnSJ
  • 6
    Ministério da Saúde (BR). Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água. SISAGUA - Cobertura de abastecimento [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2021 [citado 2021 dez 19]. Disponível em: https://dados.gov.br/dataset/sisagua-cobertura-de-abastecimento2
    » https://dados.gov.br/dataset/sisagua-cobertura-de-abastecimento2
  • 7
    Centers for Disease Control. Update guidelines for evaluation public health surveillance systems: recommendations from the guideline working group. MMWR. Recommendations and reports : Morbidity and mortality weekly report. Recommendations and reports; v. 50, no. RR-13. Atlanta: Centers for Disease Control; 2001 [cited 2022 jan 26]. Available from: https://stacks.cdc.gov/view/cdc/13376
    » https://stacks.cdc.gov/view/cdc/13376
  • 8
    Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Saúde Ambiental do Trabalhador e Vigilância das Emergências em Saúde Pública. Manual do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano - SISAGUA: perfil vigiagua (vigilância em saúde) [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2020 [citado 2022 mar 15]. Disponível em: https://bit.ly/3vbEbCS
    » https://bit.ly/3vbEbCS
  • 9
    Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Saúde Ambiental do Trabalhador e Vigilância das Emergências em Saúde Pública. Manual do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano - SISAGUA: perfil empresa (prestadores de serviços de abastecimento de água) [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2020 [citado 2022 mar 15]. Disponível em: https://bit.ly/3vcv3Os
    » https://bit.ly/3vcv3Os
  • 10
    Romero DE, Cunha CB. Avaliação da qualidade das variáveis epidemiológicas e demográficas do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos. Cad Saude Publica. 2007;23(3):701-14. doi: 10.1590/S0102-311X2007000300028
    » https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007000300028
  • 11
    Feliciano M, Medeiros KJ, Damázio SL, Alencar FL, Bezerra AFB. Avaliação da cobertura e completitude de variáveis de Sistemas de Informação sobre orçamentos públicos em saúde. Saúde em Debate. 2019;43(121):341-53. doi: 10.1590/0103-1104201912104
    » https://doi.org/10.1590/0103-1104201912104
  • 12
    Siqueira PC, Maciel ELN, Catão RC, Brioschi AP, Silva TCC, Prado TN. Completude das fichas de notificação de febre amarela no estado do Espírito Santo, 2017. Epidemiol Serv Saude. 2020;29(3):e2019402. doi: 10.5123/S1679-49742020000300014
    » https://doi.org/10.5123/S1679-49742020000300014
  • 13
    Canto VB, Nedel FB. Completude dos registros de tuberculose no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) em Santa Catarina, Brasil, 2007-2016. Epidemiol Serv Saude. 2020;29(3), e2019606. doi: 10.5123/S1679-49742020000300020
    » https://doi.org/10.5123/S1679-49742020000300020
  • 14
    Rodrigues PL, Gama SGN, Mattos IE. Completitude e confiabilidade do Sistema de Informações sobre Mortalidade para óbitos perinatais no Brasil, 2011-2012: um estudo descritivo. Epidemiol Serv Saude. 2019;28(1): e2018093. doi: 10.5123/S1679-49742019000100007
    » https://doi.org/10.5123/S1679-49742019000100007
  • 15
    Delziovo CR, Bolsoni CC, Lindner SR, Coelho EBS. Qualidade dos registros de violência sexual contra a mulher no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) em Santa Catarina, 2008-2013. Epidemiol Serv Saude. 2018;27(1):e20171493. doi: 10.5123/S1679-49742018000100003
    » https://doi.org/10.5123/S1679-49742018000100003
  • 16
    Silva LMP, Santos TMB, Santiago SRV, Melo TQ, Cardoso MD. Análise da completitude das notificações de violência perpetradas contra crianças. J. Nurs UFPE on line. 2018;12(1):91-100. doi: 10.1590/1413-812320152112.16682015
    » https://doi.org/10.1590/1413-812320152112.16682015
  • 17
    Cordeiro TMSC, D'Oliveira Júnior A. Data quality of the reporting of viral hepatitis caused by work-related accidents, Brazil. Rev Bras Epidemiol. 2018;21:e180006. doi: 10.1590/1980-549720180006
    » https://doi.org/10.1590/1980-549720180006
  • 18
    Silva GDM, Bartholomay P, Cruz OG, Garcia LP. Avaliação da qualidade dos dados, oportunidade e aceitabilidade da vigilância da tuberculose nas microrregiões do Brasil. Cien Saude Colet. 2017;22(10),3307-19. doi: 10.1590/1413-812320172210.18032017
    » https://doi.org/10.1590/1413-812320172210.18032017
  • 19
    Marques CA, Siqueira MM, Portugal FB. Assessment of the lack of completeness of compulsory dengue fever notifications registered by a small municipality in brazil. Cien Saude Colet. 2020;25(3),891-900. doi: 10.1590/1413-81232020253.16162018
    » https://doi.org/10.1590/1413-81232020253.16162018
  • 20
    Ferreira JSA, Vilela MBR, Aragão PS, Oliveira RA, Tiné RF. Avaliação da qualidade da informação: linkage entre SIM e Sinasc em Jaboatão dos Guararapes (PE). Cien Saude Colet. 2011;16(supl.1):1241-6. doi: 10.1590/S1413-81232011000700056
    » https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000700056

  • Trabalho acadêmico associado

    Artigo derivado de tese de doutorado acadêmico intitulada ‘Avaliação do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano no Brasil, 2014-2020’; trata-se de um título provisório, pois a tese, a ser apresentada por Renan Neves da Mata no Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade de Brasília (PPGSC/UnB), ainda está em elaboração.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    05 Set 2022
  • Data do Fascículo
    2022

Histórico

  • Recebido
    27 Dez 2021
  • Aceito
    21 Jun 2022
Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde do Brasil Brasília - Distrito Federal - Brazil
E-mail: leilapgarcia@gmail.com