NOTAS E INFORMAÇÕES NOTES AND INFORMATION

 

Tuberculose canina e sua importância em saúde pública*

 

Canine tuberculosis and its importance in public health

 

 

Jane MegidI; Ana Paula F.R.L. BracarenseII; Antonio Carlos F. dos ReisII; Domingos José SturionIII; Lígia M.M.MartinIV; Sônia R. PinheiroV

IDepartamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Universidade Estadual Paulista, Botucatu - Botucatu, SP - Brasil
IIDepartamento de Medicina Veterinária Preventiva. Universidade Estadual de Londrina - Londrina, PR - Brasil
IIIDepartamento de Cirurgia Veterinária. Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR - Brasil
IVPrefeitura Municipal de Cambé - Cambé, PR - Brasil
VDepartamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal. Faculdade de Medicina Veterinária. Universidade de São Paulo - São Paulo, SP - Brasil

 

 


RESUMO

Relata-se um caso de uma família com diagnóstico de tuberculose, cujo cão também apresentava a enfermidade. Discute-se a importância do rastreamento epidemiológico animal em casos de tuberculose humana.

Descritores: Tuberculose, epidemiologia. Doenças do cão. Vigilância epidemiológica.


ABSTRACT

The present paper describes tuberculosis in a family whose dog also presented the disease. The importance of animal epidemiological investigation in cases of tuberculosis in man is discussed.

Keywords: Tuberculosis, epidemiology. Dog diseases. Epidemiologic surveillance.


 

 

Introdução

A tuberculose é uma importante causa de incapacidade e morte em muitos países do mundo (Benelson2, 1992).

Para o ser humano, os fatores mais importantes no contágio são a infecciosidade da fonte de infecção e a proximidade de contato. Casos com baciloscopia positiva (visualizados pelo esfregaço) são altamente infecciosos, enquanto que aqueles positivos somente em cultura são menos infectantes (Des Prez e Goodwin, citados por Mandell e col.6, 1985).

Muitas espécies de mamíferos domésticos são sensíveis aos agentes da tuberculose (OPAS7, 1989). Os cães se infectam através de exposição maciça e repetida, ao coabitarem com pacientes humanos ou ao consumir repetidas vezes produtos contaminados. Em torno de 75% dos casos caninos são causados pelo M. tuberculosis e somente 25% são devidos ao M. bovis, (OPAS7, 1989).

A importância do ser humano como fonte de infecção para os cães é um fato bastante conhecido (Steele8, 1980), assim como, animais de comportamento amigável podem favorecer contatos íntimos e constantes. Apesar disso, a avaliação dos animais familiares não é considerada quando do atendimento de pessoas tuberculosas.

O presente relato tem como objetivo alertar para a importância do rastreamento epidemiológico dos animais contactantes, uma vez que os mesmos são suscetíveis e passam a atuar como fontes de infecção.

 

Relato do Caso

Em uma família constituída por 18 pessoas, 14 apresentavam teste de Mantoux positivo. Destas, 5 apresentavam tuberculose pulmonar, diagnosticada através de exames clínicos e radiológicos. Os doentes eram representados pela mãe, que referia sintomas há 2 meses e 4 crianças com história de pneumonia de repetição há aproximadamente um ano. Foi realizada, na mãe, a pesquisa de micobactéria em escarro, resultando em baciloscopia positiva.

A família possuía uma cadela e 2 gatos, todos aparentemente sadios e que conviviam com a família desde seu nascimento (exceto um dos gatos). Na cadela, foram realizados exames clínico, hemograma, análise de urina, broncoscopia para realização de baciloscopia (Ziehl-Neelsen), radiografia torácica e teste de Mantoux na face interna da coxa (Greene4, 1984). A radiografía torácica demonstrou múltiplas infiltrações broncopneumônicas, e a baciloscopia apresentou Bacilos Álcool Ácido Resistentes (BAAR), sendo os demais exames negativos.

À realização da necropsia não foram observadas alterações macroscópicas, sendo encaminhado material para realização do histopatológico. Ao exame microscópico dos cortes corados pela Hematoxilina-Eosina de pulmão, linfonodos mediatínicas, rins e intestino delgado observou-se predominância de infiltrado inflamatório mononuclear. Observou-se ainda que os macrófagos presentes na região medular tinham o citoplasma repleto de material fagocitado.

Nos cortes histológicos dos linfonodos mediastínicos, corados pelo método de Ziehl-Neelsen, foram observados no citoplasma dos macrófagos a presença de material particulado de coloração eosinofílica (compatível com micobactérias).

A baciloscopia positiva na cadela e seu comportamento amigável caracterizam este animal como uma fonte de infecção em potencial. A ausência de sitomatologia clínica e alterações macroscópicas, indicam a impossibilidade diagnostica neste animal, quando da inexistência de suspeita de tuberculose.

Histologicamente, os carnívoros diferem das outras espécies pois raramente apresentam células gigantes (Jubb e col.5, 1989). A ausência de alterações histopatológicas características, associadas à presença de BAAR na coloração de ZiehlNeelsen, definem o diagnóstico de tuberculose na cadela, porém sugerem que a mesma se encontrava em fase inicial de desenvolvimento.

O diagnóstico de tuberculose nesse animal não seria realizado se não houvesse a suspeita baseada em dados epidemiológicos. A permanência do animal no ambiente, possibilitaria exposições constantes e prolongadas de pessoas ou animais ao agente, favorecendo novas infecções.

Não se sabe exatamente o perigo que o cão tuberculoso representa para o homem (Foster e col.3,1986), sendo poucos casos em que se pôde comprovar a transmissão do cão ao homem, porém é inquestionável que o cão tuberculoso (e mesmo o animal aparentemente sadio que coabita com pacientes tuberculosos), representa um risco em potencial, devendo ser recomendado seu sacrifício (Acha e Szyfres1, 1986).

A queda do nível de vida e condições socieconômicas populacionais, bem como a presença da AIDS fez com que a tuberculose que se encontrava em nível decrescente, retomasse seu crescimento de forma preocupante. Além das medidas indicadas pela Organização Mundial de Saúde para o controle da tuberculose (OPAS7, 1987), talvez fosse importante se questionar a importância do rastreamento epidemiológico direcionado, não somente aos contactantes humanos mas, também, aos animais da família. Esta conduta poderia colaborar no controle da tuberculose.

O rastreamento poderia ser uma ação conjunta entre médicos sanitaristas e médicos veterinários que atuem em nível de saúde pública. Essa atuação possibilitaria o controle da tuberculose através da detecção de casos humanos e seus contactantes e impediria a permanência de animais positivos que representam uma fonte de infecção em potencial não somente para a família, mas, também, para outros que com eles convivam.

 

Referências Bibliográficas

1. ACHA., P.N. & SZYFRES, B. Zoonoses y enfermidades transmisibles comunes al hombre y a los animales. Washington, D.C., Organización Panamericana de la Salud, 1989. (OPAS - Publicación Científica, 503).        

2. BENENSON, A.S. El control de las enfermedades transmisibles en el hombre. Washington, D.C., Organización Panamericana de la Salud, 1992. (OPAS - Publicación Científica, 538).        

3. FOSTER, S.E. et al. Cutaneous lesion caused by Mycobacterium tuberculosis in a dog. JAMA, 188:1188-90, 1986.        

4. GREENE, E.C. Infectious deseases of the dog and cat. Philadelphia, W.B. Saunders, Co.,1990.        

5. JUBB, K.N.F. et al. Pathology of domestic animals. 3ed, London, Academic Press, 1989. v.2.        

6. MANDELL, G.L.; DOUGLAS JR., R.G.; BENNETT, J.E. Principles and practice of infections diseases. 2nd ed. New York, John Wiley, 1985.        

7. ORGANIZACIÓN PANAMERICANA DE LA SALUD. Control de las tuberculosis: manual sobre métodos y procedimientos para los programas integrados. Washington, D.C. (OPAS - Publicación Científica, 498).        

8. STEELE, J.H.Handbook series in zoonosis. Boca Raton, CRC Press, 1980. Sect A, v.2.        

 

 

Recebido para publicação em 24.3.1994
Reapresentado em 26.6.1994
Aprovado para publicação em 28.7.1994

 

 

Separatas/Reprints: J. Megid - 18618-000 - Botucatu, SP -Brasil
Edição subvencionada pela FAPESP. Processo 94/0500-0
* Trabalho apresentado no XXII Congresso Brasileiro de Medicina Veterinária, Curitiba, PR, 1992

Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revsp@org.usp.br