• The use of phytotherapy and medicinal plants in primary healthcare units in the cities of Cascavel and Foz do Iguaçu - Paraná: the viewpoint of health professionals Opinião

    Bruning, Maria Cecilia Ribeiro; Mosegui, Gabriela Bittencourt Gonzalez; Vianna, Cid Manso de Melo

    Abstract in Portuguese:

    A fitoterapia e o uso de plantas medicinais fazem parte da prática da medicina popular, que complementa o tratamento usualmente empregado para a população de menor renda. O trabalho analisou o conhecimento de gestores e profissionais de saúde que atuam na atenção primária (APS), sobre fitoterapia, nos municípios de Cascavel e Foz do Iguaçu, Paraná. Entre fevereiro e julho de 2009, realizou-se estudo exploratório, descritivo, qualitativo, empregando entrevistas e questionário estruturado. Um gestor relatou interesse na implantação do programa, os demais profissionais entrevistados não receberam formação sobre o tema durante a graduação ou nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) onde trabalham. Seis profissionais (60%) relataram ter acesso às informações sobre fitoterapia através do conhecimento popular, uma (10%) formação na UBS, dois (20%) através de periódicos, quatro (40%) através de meio de comunicação e quatro citaram mais que uma das opções. Em Foz do Iguaçu, nas UBS onde a terapêutica foi introduzida, os profissionais não foram consultados antes de sua implantação. Para instituir a fitoterapia nas UBS desses dois municípios é necessário capacitar os profissionais quanto ao tema, desde o cultivo até a prescrição, melhorando o uso racional desses medicamentos.

    Abstract in English:

    Phytotherapy and the use of medicinal plants are part of the practice of folk medicine, which complements treatment traditionally employed for the lower income population. This work analyzed the knowledge of health managers and professionals who work in primary health care (PHC) about phytotherapy in the cities of Cascavel and Foz do Iguaçu in the State of Paraná. An exploratory, descriptive, and qualitative study using a structured questionnaire was conducted between February and July 2009. A health manager manifested interest in introducing the program. The other professionals interviewed did not receive training during undergraduate studies or within the Basic Health Units (BHU) where they work. Six professionals (60%) reported having access to information on phytoterapy through folk wisdom, one (10%) via training in a BHU, two (20%) from journals, four (40%) from the media and four mentioned more than one source. In Foz do Iguaçu, in the BHU where the therapy is deployed, the professionals were not consulted before its implementation. To include phytotherapy in the BHUs of these two cities, it is necessary to train the professionals on the topic, including cultivation and prescription, thereby enhancing the rational use of these medicines.
ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revscol@fiocruz.br