• Gender and racial inequalities in the access to and the use of Brazilian health services Artigo

    Cobo, Barbara; Cruz, Claudia; Dick, Paulo C.

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O presente artigo se propõe a avaliar, a partir das informações da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), 2019, as desigualdades de gênero e raciais no acesso e utilização dos serviços de saúde no Brasil. O objetivo principal é compreender como homens e mulheres, brancos, pretos ou pardos, buscam atendimento médico na Atenção Primária à Saúde, porta de entrada no sistema de saúde brasileiro. As análises sob uma perspectiva de gênero mostram que padrões culturais e sociais afetam ações e escolhas individuais e, em particular, o acesso e uso dos serviços de saúde. Os resultados também indicam que homens e mulheres reproduzem o comportamento de gênero esperado, social e culturalmente construído, que impacta sua autoavaliação de estado de saúde, cuidados e suas exposições ao risco de doença e morte. A análise interseccional revela que as desigualdades raciais se combinam às observadas entre homens e mulheres, exponenciando vulnerabilidades para pessoas de cor ou raça preta ou parda e refletindo as desigualdades socioeconômicas estruturantes da sociedade brasileira. Nesse contexto, a universalidade e a integralidade preconizadas no Sistema Único de Saúde contribuem enquanto política pública para a garantia de direitos, equalização de oportunidades e efetivação do acesso ao atendimento igualitário.

    Abstract in English:

    Abstract This paper aims to evaluate gender and racial inequalities in the access and use of health services in Brazil Based on the 2019 National Health Survey (PNS). Its main objective is to understand how white, black, or brown men and women seek medical care in Primary Health Care, the gateway to the Brazilian health system. Analyses from a gender perspective show that cultural and social patterns affect individual actions and choices and mainly access to and use of health services. The results also show that men and women reproduce the expected gender behavior, socially and culturally constructed, which impacts their self-assessment of health status, care, and their exposure to the risk of disease and death. The intersectional analysis reveals that racial inequalities are aligned with those observed between men and women, exponentiating vulnerabilities for self-identified black or brown people, reflecting the structural socioeconomic inequalities of Brazilian society. In this context, the universality and integrality recommended in the Unified Health System contribute as a public policy to the guarantee of rights, equalization of opportunities, and adequate access to equal care.
  • Trends in the access and use of health services in PHC among Brazilian older adults in the years 2008, 2013 and 2019 Artigo

    Cesário, Vanovya Alves Claudino; Santos, Marquiony Marques dos; Mendes, Tamires Carneiro de Oliveira; Souza Júnior, Paulo Roberto Borges de; Lima, Kenio Costa de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O artigo tem por objetivo contribuir na identificação das condições e tendências de acesso e utilização dos serviços da atenção primária em saúde (APS) pelos idosos brasileiros nos anos de 2008, 2013 e 2019. Um estudo transversal em painéis com análise descritiva dos percentuais e intervalos de confiança das variáveis elencadas, no qual foram resgatados os dados relativos à população idosa investigada no Suplemento Saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do ano 2008 e da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2013 e 2019. Inicialmente identificou-se que, apesar da APS ter sido o principal serviço procurado mediante a necessidade de assistência, houve uma tendência de redução para esta procura em todas as regiões brasileiras, principalmente entre as mulheres idosas, na faixa etária de 60-69 anos e na população de raça/cor branca. Verificou-se um aumento de 15,2% no quantitativo de domicílios cadastrados na Unidade de Saúde da Família; 4,5% na procura por lugar, serviço ou profissional de saúde; e de 31,4% na população atendida. Os principais fatores de não atendimento foram não conseguir vaga/senha e não ter médico atendendo. E, dentre os investigados, verificou-se uma tendência de crescimento entre os que tinham o diagnóstico de hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e multimorbidades.

    Abstract in English:

    Abstract This paper aims to identify the conditions and trends in access and use of primary health care (PHC) services by Brazilian older adults in 2008, 2013, and 2019. We performed a cross-sectional panel study with a descriptive analysis of the percentages and confidence intervals of the variables listed, in which data on the elderly population investigated in the Health Supplement of the 2008 National Household Sample Survey (PNAD) and the 2013 and 2019 National Health Surveys (PNS) were obtained. We initially identified that, while PHC was the primary service sought for care needs, this demand tended to decline in all Brazilian regions, among older women, the 60-69 years age group, and whites. The number of households registered with the USF increased 15.2%; the search for a place, service, or health professional by 4.5%; and the population served by 31.4%. The main factors of non-attendance were not being able to get a vacancy/service ticket and doctor unavailability. A growing trend was observed among those diagnosed with Systemic Arterial Hypertension, Diabetes Mellitus, and multimorbidities among those investigated.
  • Prevalence of chronic diseases and access to health services in Brazil: evidence of three household surveys Artigo

    Simões, Taynãna César; Meira, Karina Cardoso; Santos, Juliano dos; Câmara, Daniel Cardoso Portela

    Abstract in Portuguese:

    Resumo As Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) são as principais causas de morte no mundo, impactando fortemente sobre populações mais vulneráveis. O objetivo deste estudo foi analisar as mudanças nas prevalências dessas doenças, nas condições de saúde, acesso e utilização de serviços de saúde no Brasil, entre 2008 e 2019. Como ferramenta analítica, foram utilizados testes de diferenças de proporções e modelos lineares generalizados, considerando amostragem complexa dos inquéritos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2008, e da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), nos anos de 2013 e 2019, para testar mudanças no tempo das prevalências e estimar razões de prevalência, ajustadas por variáveis sociodemográficas. Houve aumento das prevalências de depressão, câncer, diabetes, distúrbios neuropsiquiátricos, problemas pulmonares crônicos e problemas osteomusculares. Houve redução de artrite reumatoide, insuficiência renal crônica e doenças do aparelho circulatório. Entre os brasileiros com pelo menos uma DCNT verificou-se aumento da cobertura da Estratégia de Saúde da Família ao longo do tempo, no entanto verificou-se redução do atendimento médico em tempo oportuno e obtenção de medicamentos prescritos gratuitamente.

    Abstract in English:

    Abstract Chronic non-communicable diseases (NCDs) are the leading causes of death globally, impacting heavily on the most vulnerable populations. This study aimed to analyze changes in the prevalence of these diseases, health conditions, access, and health services in Brazil between 2008 and 2019. Tests of differences and generalized linear models were used as analytical tools, considering complex sampling from the PNAD 2008, PNS 2013, and PNS 2019 surveys, to test temporal changes in the prevalence and the prevalence ratio estimates, adjusted by sociodemographic variables. An increase in the prevalence of Depression, Diabetes, Cancers, Neuropsychiatric Disorders, Chronic Pulmonary problems, and Musculoskeletal problems was observed. A decline in rheumatoid arthritis, chronic renal failure, and diseases of the circulatory system was identified. Among Brazilians with at least one NCD, an increase in coverage by the family health strategy over time was observed. However, there was a reduction in timely medical care and obtaining of free prescription drugs.
  • Trends in the prevalence of systemic arterial hypertension and health care service use in Brazil over a decade (2008-2019) Artigo

    Julião, Nayara Abreu; Souza, Aline de; Guimarães, Raquel Rangel de Meireles

    Abstract in Portuguese:

    Resumo A carga global e a prevalência de hipertensão arterial sistêmica (HAS) têm crescido nas últimas duas décadas, especialmente em países de baixa e média renda, representando uma preocupação para as autoridades em saúde. Este estudo analisou a prevalência de HAS entre adultos brasileiros em 2008, 2013 e 2019 e o controle da doença pelos indivíduos em 2013 e 2019. Utilizou-se dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (2008) e da Pesquisa Nacional de Saúde (2013-2019). Foram calculadas razões de prevalência da doença pelo método de Poisson, ajustado para caraterísticas sociodemográficas. Para os indicadores de cuidados em saúde e organização da atenção primária calculamos proporções estratificadas por sexo, faixa etária, raça e região. Os resultados indicam que as desigualdades regionais persistem, com menores prevalências no Norte e Nordeste e maiores no Sudeste e Sul. Embora os indicadores de acesso e utilização dos serviços de saúde sejam considerados bons, refletindo as melhorias na atenção primária nos últimos anos, ressaltamos a importância da adoção de estratégias multifacetadas para a prevenção e controle da HAS no país.

    Abstract in English:

    Abstract The global burden and the prevalence of systemic arterial hypertension (SAH) have increased over the last two decades, especially in low- and middle-income countries, and are a concern to health authorities. This study analyzed the prevalence of SAH reported by Brazilian adults in 2008, 2013, and 2019, and individual disease control in 2013 and 2019. Data from the National Household Sample Survey (2008) and National Health Survey (2013-2019) were employed. We calculated the disease’s prevalence ratios using Poisson regression, adjusted for sociodemographic characteristics. Regarding health care and PHC organization indicators, we calculated proportions by gender, age group, ethnicity, and region. The results reveal persistent regional inequalities, with lower prevalence in the North and Northeast and higher prevalence in the Southeast and South. While the health care access and use indicators are positive, reflecting PHC improvements in recent years, we highlight the importance of adopting multifaceted SAH prevention and control strategies in the country.
  • Health and household surveys in Brazil and England: The National Health Survey and the Health Survey for England Artigo

    Marques, César; Johansen, Igor Cavallini

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O objetivo do artigo é analisar as características das pesquisas nacionais de saúde realizadas no Brasil e na Inglaterra pelos seus respectivos institutos de Estatística. No Brasil foi considerada a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) e na Inglaterra, a Health Survey for England (HSE). Para tanto, apresenta-se inicialmente um panorama sobre os distintos perfis populacionais dos países. Passa-se, então, a um breve histórico das pesquisas, evidenciando inclusive as temáticas comuns que são abordadas na PNS e na HSE que favorecem análises comparativas. Por fim, apresenta-se uma comparação, a título de exemplo, acerca das desigualdades no acesso e na utilização dos serviços de saúde no Brasil e na Inglaterra. Os resultados evidenciam inúmeras possiblidades de análises comparativas em temáticas como percepção de saúde, tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas, diabetes e hipertensão. Entretanto, salienta-se a necessidade de atentar para especificidades do perfil populacional de cada país e às características metodológicas das pesquisas.

    Abstract in English:

    Abstract This paper aims to analyze the characteristics of national health surveys conducted in Brazil and England by their respective Statistics institutes. For Brazil, the National Health Survey (PNS) was considered, and the Health Survey for England (HSE) for England. To this end, we show a preliminary overview of the different population profiles of the two countries. Then, a brief historical background is presented, including the common themes that are addressed in the PNS and HSE that favor comparative analyses. Finally, we compared, for example, the inequalities in access to and use of Brazilian and English health services. The results show several possibilities for comparative analysis on topics such as health perception, tobacco use, alcohol consumption, diabetes, and hypertension. However, the need to consider the specificities of the population profile of each country and the methodological characteristics of the surveys is emphasized.
  • Primary Care Assessment Tool: regional differences based on the National Health Survey from Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Artigo

    Pinto, Luiz Felipe; Quesada, Leonardo Arêas; D’Avila, Otavio Pereira; Hauser, Lisiane; Gonçalves, Marcelo Rodrigues; Harzheim, Erno

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Em 2019, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de forma inédita entre os institutos oficiais de estatística em todo o mundo, incluiu um módulo especial sobre avaliação da atenção primária à saúde em seu principal inquérito populacional de base domiciliar, a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). O inquérito considerou a versão reduzida do instrumento Primary Care Assessment Tool (PCAT), desenvolvida e disseminada por Starfield e Shi para avaliar a existência e extensão das características de estrutura e processos dos serviços de atenção primária em saúde. Trata-se da maior amostra probabilística com o uso desse instrumento já realizada em um único país do mundo que entrevistou usuários com 18 anos ou mais (n = 9.677). Os resultados dos escores gerais do PCAT do Brasil (5,9 [5,8; 5,9]) apontam grandes contrastes regionais e intraregionais, com a região Sul do país destacando-se com as melhores avaliações dos serviços de atenção primária (escore geral = 6,3 [6,2; 6,5]) e a região norte, por outro lado, com as menores (escore geral = 5,5 [5,3; 5,7]). Foram também observadas diferenças estatisticamente significantes e mais favoráveis entre os moradores de domicílios cadastrados pelas equipes de saúde da família, entre os mais idosos e entre que mais utilizam os serviços de saúde (adultos com morbidades referidas).

    Abstract in English:

    Abstract In 2019, unprecedentedly among the official statistical institutes worldwide, the IBGE included a particular module on evaluating primary health care in its central population-based population survey, the National Health Survey (PNS-2019). The survey considered the reduced version of the Primary Care Assessment Tool (PCAT), developed and disseminated by Starfield and Shi, to assess the existence and extent of the structure and process characteristics of PHC services. It is the most significant probabilistic sample using this instrument ever conducted in a single country in the world that interviewed users aged 18 or over (n=9,677). The results of the Brazilian overall PCAT scores (5.9 [5.8; 5.9]) point to significant regional and intraregional contrasts, with the South of the country standing out with the best evaluations of primary care services (overall score = 6.3 [6.2; 6.5]) and the North with the worse (overall score = 5,5 [5,3; 5,7]). There were also statistically significant and more favorable differences between residents of households registered by family health teams, among older adults, and those using health services the most (adults with reported morbidities).
ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revscol@fiocruz.br