Cadernos de Saúde Pública, Volume: 17 Supplement, Published: 2001
  • Living conditions and life experiences of working-class groups in Rio de Janeiro: rethinking dengue control and popular mobilization Artigos

    Oliveira, Rosely Magalhães de; Valla, Victor Vincent

    Abstract in Portuguese:

    Partindo do relato da experiência de mobilização popular durante a epidemia de dengue ocorrida no município do Rio de Janeiro, entre os anos de 1986 e 1991, o artigo busca apresentar e discutir o processo de investigação científica e assessoria popular em torno da situação de saneamento básico de grupos sociais vulneráveis. São apresentados resultados da investigação sobre o problema de abastecimento de água nas favelas da região, tendo como ponto de partida reclamações de seus representantes em fóruns locais de debate público da situação de saúde. A coleta e sistematização dos dados e informações analisados tiveram como base a "construção compartilhada do conhecimento", compreendida como uma produção onde se intercruzam o saber científico acumulado e o saber popular produzido a partir de condições e experiências de vida da população. Por fim, são efetuadas algumas considerações em torno da necessidade de estarmos atentos para as "técnicas locais" de defesa da vida e sua relação com os processos endêmico-epidêmicos.

    Abstract in English:

    Using narratives of an experience with popular mobilization during the 1986-91 dengue epidemic in the city of Rio de Janeiro, the authors discuss the scientific research and technical counseling involving basic sanitation conditions for vulnerable social groups. They present research results on water distribution in the slums from the Leopoldina area of the city. The research stemmed from demands by community leaders at local forums discussing health conditions. Gathering, systematizing, and analyzing the data were based on what they call "shared knowledge construction", resulting by crossing accumulated scientific knowledge with popular knowledge produced as a result of living conditions and life experiences among working-class groups. Finally, the authors comment on the need for local health professionals to be aware of relationships between epidemic and endemic processes and protection of life.
  • Urbanization and dengue ecology Artigos

    Tauil, Pedro Luiz

    Abstract in Portuguese:

    As mudanças demográficas ocorridas nos países subdesenvolvidos, a partir dos anos 60, geradas por intenso fluxo migratório rural-urbano, resultaram em crescimento desordenado das cidades, nas quais se destacam a carência de facilidades - em particular, de habitação e saneamento básico. Cerca de 20% da população das grandes e médias cidades estão vivendo em favelas, cortiços ou em áreas de invasão. Pela falta de abastecimento de água, há necessidade de armazená-la precariamente, tal como pela ausência de destino adequado do lixo ocorre a proliferação de criadouros potenciais do Aedes aegypti, principal mosquito vetor da dengue, ou seja, depósitos improvisados para água potável e recipientes em que a água é acumulada, constituídos principalmente por latas, plásticos e garrafas usadas. A indústria moderna, por outro lado, privilegia a produção de material descartável. O vírus do dengue tem sua propagação facilitada pela intensidade e freqüência dos meios de transporte, os quais favorecem também a disseminação dos vetores da doença. Estes são alguns dos fatores que tentam explicar o ressurgimento do dengue, a mais importante arbovirose no mundo atualmente e que acomete milhares de pessoas todos os anos.

    Abstract in English:

    Demographic changes occurring in underdeveloped countries due to intense rural-urban migration since the 1960s have resulted in overcrowded cities with multiple deficiencies, particularly in housing and basic sanitation. Some 20% of the population in large and medium-sized cities live in slums or under similar conditions. Lack of regular water supply and public garbage collection foster the proliferation of potential breeding sites for Aedes aegypti (the main mosquito vector for dengue), including precarious reservoirs for potable water and disposable recipients which accumulate water, like used cans and plastic and glass bottles. Modern industries also produce large volumes of disposable materials. Propagation of the dengue virus and the spread of dengue vectors are favored by the high intensity, frequency, and speed of private and public transportation. Such factors can help explain the re-emergence of dengue, the most important arbovirus in the world today, affecting thousands of people each year.
  • Chagas disease, environment, participation, and the state Artigos

    Dias, João Carlos Pinto

    Abstract in Portuguese:

    Na América Latina, a Doença de Chagas Humana (DCH) afeta 16 milhões de indivíduos e está relacionada a fatores ambientais e sociopolíticos (relações de produção, migrações, vivenda, educação e ação antrópica sobre a natureza). Sua transmissão depende basicamente da domiciliação do vetor originário de ecótopos silvestres ou introduzido na casa por ação humana. De conseqüências graves, a DCH apresenta tratamento difícil, mas boas possibilidades de controle. Como afeta indivíduos e regiões pobres, carece de ação do Estado que envolva educação, participação e políticas públicas de modo a assegurar atenção médica e prevenção. Neste contexto, demanda melhor desempenho político. A política ambiental é fator crítico na prevenção da expansão da DCH para novas áreas de colonização, como a Amazônia. Finalmente, o enfrentamento e controle da DCH na Região pode significar fator de auto-estima e cooperação, entre países, como exercício de novas macropolíticas sociais necessárias ao Terceiro Mundo.

    Abstract in English:

    Human Chagas Disease (HCD) affects 16 million Latin Americans and is related to environmental and social questions like education, anthropogenic changes, housing, and migration. HCD requires domiciliation of the vector, which is introduced from sylvatic ecotopes or transported passively by humans. HCD is difficult to treat but possible to prevent. As a disease concentrating among poor individuals and regions, its control requires government intervention, involving education, community participation, and access to medical care. Public policies are required for HCD control, requiring participation by political parties and social control of public agencies to ensure program continuity. A consistent environmental policy is needed to prevent the spread of HCD to new areas such as the Amazon Region. Finally, partnerships among affected countries can help foster HCD control, raising self-esteem and helping promote a new political order in Latin America.
  • Emerging and reemerging viral diseases Artigos

    Schatzmayr, Hermann G.

    Abstract in Portuguese:

    Nas últimas décadas, viroses antes desconhecidas, como o HIV, e o ressurgimento de outras que haviam sido controladas, como o dengue, têm sido observadas. Os mecanismos mais importantes envolvidos são o surgimento de novas amostras virais por modificações genéticas, a transposição da barreira de espécie por um vírus e a disseminação viral a partir de um nicho ecológico. Os principais fatores que facilitam estes mecanismos são a pressão demográfica - com a expansão da área agrícola -, os padrões de comportamento social, o intenso tráfego aéreo - que transporta vetores e pessoas infectadas -, a importação de animais - o que carreia vírus - modificações ecológicas de grande porte - como a construção de barragens e estradas - e a reconhecida transformação dos sistemas de saúde no mundo, com redução dos recursos e da infra-estrutura para ações de controle de doenças. Discussões em âmbito internacional recomendam investimentos nas áreas de Vigilância Epidemiológica, Pesquisa aplicada à Saúde Pública, ênfase em ações de prevenção de doenças e controle de vetores, além de melhor infra-estrutura do setor saúde, em níveis local, estadual e federal para reduzir o impacto destas doenças virais.

    Abstract in English:

    Recent decades have witnessed previously unknown viruses like HIV, along with other previously controlled viruses like dengue. The most important mechanisms have been the emergence of new viral strains by genetic alterations, the breakdown of species barriers by viruses, and viral spread from ecological niches. The main factors facilitating such mechanisms have been demographic pressure, with the expansion of the agricultural frontier, social behavior patterns, intensive air traffic, transporting both vectors and infected humans, importation of animals carrying the viruses, large-scale ecological alterations like dam- and road-building, and the widespread transformation of health systems, with a reduction in resources and infrastructure for disease control activities. Discussions on an international scale have recommended investments in the areas of Epidemiological Surveillance, Research Applied to Public Health, an emphasis on disease prevention and vector control measures, and infrastructure improvements in the health sector at the local, State, and federal level to reduce the impact of these viral diseases.
Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br