Revista Brasileira de Epidemiologia, Volume: 9, Issue: 3, Published: 2006
  • Warfare and biological development: the case of biotechnology and genomics during the second half of the 20th Century Artigo Especial

    Almeida, Maria Eneida de

    Abstract in Portuguese:

    Desde a década de 1980, a Biotecnologia vem assumindo um papel cada vez mais importante dentro do planejamento estratégico das Grandes Potências, como elemento central para um novo tipo de arma ofensiva de destruição em massa e como paradigma para o planejamento de defesa e proteção de suas populações nacionais. Para defender esta tese, nosso estudo se orientou exatamente na história do deslocamento da Biologia para o centro do planejamento de defesa americano. Nosso objetivo foi investigar a existência de uma estreita relação entre o Desenvolvimento Biotecnológico, da ciência Genômica em particular, e a questão da guerra. Nossa hipótese é que a Biotecnologia se afirmou no campo da guerra, quando foram atingidos um ponto de condensação de fatos políticos e uma confluência de possibilidades biotécnicas que estimularam acentuadamente o interesse político-militar. A metodologia para a investigação desta conexão deu-se por dois caminhos: uma análise teórica, onde encontramos as origens e o mecanismo da Big Science desde a II Guerra Mundial, quando a Física assumiu o eixo central da ciência de ponta na era atômica, e desde a década de 1980, quando a Biologia passou a ocupar um lugar central; e uma análise historiográfica, acompanhando duas trajetórias convergentes que, para a nossa tese, formam o nervo central do Desenvolvimento Biotecnológico, da Guerra Biológica e do Projeto Genoma Humano.

    Abstract in English:

    Since the 1980's, biotechnology has played an increasingly predominant role in the strategic planning of the super-powers, as the central element of a new type of mass destruction weapon as well as a model for defense planning and protection of their national populations. This study aims to demonstrate the path taken by Biology towards the core of American defense planning and also to investigate the close relationship between biotechnological development, in particular that of Genome Science and war. The specific hypothesis of this study is that biotechnology took a firm stand in military affairs when a condensation point was reached encompassing political facts and a flow of biotechnological possibilities, which have increased political-military interest in biotechnological development. A historiographical analysis was the method used for investigating this connection, following the two converging roads, which, in our view, make up the central nerve of biotechnological development: biological war and the Human Genome Project.
Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revbrepi@usp.br