• Methodologies of life, research and struggle: the Panhĩ experience Dossiê

    Apinaje, Sheila Baxy P. Castro; Apinaje, Júlio Kamêr Ribeiro; Horta, Amanda; Rocha, Welitânia de Oliveira; Morais Neto, Odilon Rodrigues de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Este ensaio apresenta as reflexões de Sheila Baxy P. Castro Apinaje e Júlio Kamêr Ribeiro Apinaje sobre sua atuação como pesquisadores da Plataforma de Antropologia e Respostas Indígenas à covid-19 (PARI-c), na Terra Indígena Apinaje, no contexto da crise sanitária mundial provocada pelo novo coronavírus. Através da descrição dos procedimentos de pesquisa adotados, os autores se apropriam do conceito de metodologia de forma particular e criativa, refletindo não apenas sobre as estratégias de produção de conhecimento acadêmico, mas também sobre como, para eles, cada uma destas estratégias deve estar alinhada às lutas panhĩ pela proteção de sua autonomia sobre seus modos de vida e seu território.

    Abstract in English:

    Abstract This essay presents the reflections of Sheila Baxy P. Castro Apinaje and Júlio Kamêr Ribeiro Apinaje on their work as researchers of the Plataforma de Antropologia e Respostas Indígenas à COVID-19 (Platform of Anthropology and Indigenous Responses to Covid-19) (PARI-c), in the Apinaje Indigenous Land, in the context of the global health crisis caused by the new coronavirus. Through the description of the research procedures adopted, the authors appropriate the concept of methodology in a unique and creative way. They reflect not only on the strategies to produce academic knowledge, but also on the urge to align these strategies to Panhĩ struggles for the protection of their autonomy over their ways of living and their territory.
  • From autonomous monitoring to virtual collaborative research: partnership with the indigenous movement from the Northeast region during covid-19 pandemic as support for social control Dossiê

    Pimentel, Spensy Kmitta; Gomes, Alexandre Oliveira; Pavelic, Nathalie Le Bouler; Andrade, Lara Erendira Almeida de; Julião, Cristiane Gomes; Lima, Paulidayane Cavalcanti de; Santos, Rutian do Rosário; Gomes, Thayná Donato

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Nos primeiros meses da pandemia de covid-19, em 2020, os movimentos e organizações indígenas da região Nordeste do Brasil estabeleceram uma extensa rede de apoio e parcerias com grupos de pesquisadores e entidades da sociedade civil para a organização de campanhas de solidariedade aos povos indígenas. A produção de informações gerais e dados empíricos sobre como a doença atingiu os territórios e populações indígenas constituiu uma das principais estratégias de ação. Essa mobilização foi a base para a constituição de redes colaborativas que investigaram como ocorreu o enfrentamento dos povos diante da pandemia, por meio de um viés antropológico e aplicando métodos que poderíamos definir como uma pesquisa colaborativa virtual. Este artigo, portanto, discute o potencial desse tipo de parceria para a reflexão sobre o Subsistema de Atenção à Saúde Indígena, argumentando que esse modelo pode constituir uma forma de apoio ao controle social exercido por parte das comunidades.

    Abstract in English:

    Abstract In the first months of the covid-19 pandemic, in 2020, indigenous movements and organizations in the Northeast region of Brazil established an extensive network of support and partnerships with groups of researchers and civil society entities to organize campaigns of solidarity with the indigenous peoples. The production of general information and empirical data on how the disease reached indigenous territories and populations constituted one of the main strategies for action. This mobilization was the basis for establishing collaborative networks that investigated how the indigenous peoples faced the pandemic, from an anthropological bias and applying methods that we could define as virtual collaborative research. The article, thus, discusses the potential of this type of partnership for reflection on the Indigenous Health Care Subsystem, arguing that this model can constitute a kind of support for social control exercised by the communities.
  • Imaginative and cooperative ways of doing research: dispositives and dispositions with care Dossiê

    Prates, Maria Paula; Macedo, Valéria; Mirim, Ataíde Vilharve Gonçalves Vherá; Mirim, Araci da Silva Yva

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Este artigo é direcionado para aspectos metodológicos implicados em uma pesquisa sobre respostas indígenas à covid-19 realizada por uma rede de pesquisadoras indígenas e não indígenas em diferentes estados brasileiros. Pretendemos compartilhar experiências e reflexões sobre limites e potencialidades de uma pesquisa realizada na pandemia e com a pandemia, já que o adoecimento experimentado nos corpos e na vida coletiva das pesquisadoras foi um agente incontornável em percursos metodológicos e analíticos, em diálogo com debates feministas sobre a tópica do cuidado.

    Abstract in English:

    Abstract This article is focused on methodological aspects impplied in a research on the responses of indigenous peoples to COVID-19 conducted by a network of indigenous and non-indigenous women researchers in different Brazilian states. We seek to share experiences and reflections on the limits and potentialities of a research carried out in the pandemic and with the pandemic, since the sickeness felt in the bodies and collective life of the researchers was an unavoidable agent in the methodological and analytical parcourses, in dialogue with feminist debates on the theme of care.
  • Anthropology, covid-19, and Indigenous responses in Brazil: methodological and vital reflections Dossiê

    Marques, Bruno; Horta, Amanda; Olivar, José Miguel
  • Weave another Basket of Knowledge? A remote collaborative research on the covid-19 pandemic Dossiê

    Olivar, José Miguel Nieto; Costa, Elizângela; Morais, Dulce Meire; Fontes, Francienia Bitencourt; Marques, Bruno

    Abstract in Portuguese:

    Resumo A partir da experiência do projeto Respostas Indígenas à COVID-19 no Brasil: arranjos sociais e saúde global (PARI-c), na região do Alto Rio Negro (AM), buscamos refletir neste artigo sobre as possibilidades e implicações da produção colaborativa de conhecimento com pesquisadoras indígenas, levando em consideração a emergência sanitária, as imobilidades territoriais, as desigualdades sociais e as diferenças epistemológicas e de políticas ontológicas. A partir da ideia de Cestos de conhecimento, pensamos as formas e possibilidades dessa colaboração, à luz de discussões contemporâneas sobre processos de “descolonização” da saúde pública (global, planetária) e do conhecimento em saúde. A base empírica para este artigo é uma descrição da experiência metodológica, de produção de conhecimento, focada em duas faces: o campo e a escrita. Esse material nos permite tecer algumas considerações em torno da relevância e do sentido de formas de geração de “saberes híbridos”, para lidar com contextos de crises globais ou sindemias. Estas formas, como veremos, atravessam o realinhamento das alianças e têm na escrita de mulheres um lugar especial de atenção.

    Abstract in English:

    Abstract From the experience of the project Indigenous Responses to COVID-19 in Brazil: social arrangements and global health (PARI-c), in the region of Alto Rio Negro (AM), we seek to reflect in this article on the possibilities and implications of collaborative knowledge production with indigenous researchers, taking into account the health emergency, territorial immobilities, social inequalities, and epistemological and ontological policy differences. From the idea of Baskets of knowledge, we think about the forms and possibilities of this collaboration, in the light of contemporary discussions on processes of “decolonization” of public health (global, planetary) and health knowledge. The empirical basis for this article is a description of the methodological experience of knowledge production, focused on two aspects: the field and writing. This material allows us to make some considerations around the relevance and meaning of ways of generating “hybrid knowledge”, to deal with contexts of global crises or syndemics. These ways, as we shall see, cross the realignment of alliances and find a special focal point on women’s writing.
Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo. Associação Paulista de Saúde Pública. SP - Brazil
E-mail: saudesoc@usp.br