RESENHAS BOOK REVIEWS

 

 

Cynthia Magluta
Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil. cynthia@iff.fiocruz.br

 

POLÍTICAS E SISTEMA DE SAÚDE NO BRASIL. Giovanella L, Escorel S, Lobato LVC, Noronha JC, Carvalho AI, organizadores. 2ªEd. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2013. 1100 pp.

Caros leitores, logo de início, permitam-me uma confidência. Aceitei fazer a resenha deste livro sem lembrar-me que ele tem 1.000 páginas. Conhecia o livro desde a sua primeira edição em 2008, fui ao lançamento que a Editora Fiocruz promove periodicamente. A tarefa tornou-se um desafio. Passei um bom tempo imaginando como fazer a resenha, espero que a solução encontrada esteja à altura da contribuição do mesmo para o campo da saúde coletiva.

Concordo com a citação do prefácio da primeira edição: Uma Obra Tão Necessária. Quando era residente da medicina social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 1982/1983, estudávamos em textos reproduzidos com a tecnologia da época, devo dizer que, com dificuldade, líamos alguns deles. O original se apagava, e as cópias ficavam cada vez piores. Saída da faculdade de medicina, sentia saudade dos livros textos e falta de uma compreensão abrangente do campo que entrava, o que era compensado pelo esforço dos professores, alguns deles editores ou autores deste livro. Mais recentemente, o campo da saúde coletiva tem produzido alguns livros que atendem ao meu desejo de aluna. Esse é definitivamente um sonho realizado.

O livro foi desenvolvido com uma vocação de ser uma obra de referência para o estudo das Políticas e Sistema de Saúde no Brasil e tem uma preocupação com sua utilização por alunos de graduação e pós-graduação. O Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) e a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO), com o apoio financeiro da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde do Ministério da Saúde e com a participação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), suscitam o esforço de professores das mais importantes escolas do campo no país e autores da maior relevância coordenados por um time de editores que se têm destacado na trajetória de pensar e fazer o SUS.

A apresentação do livro nos relata seu processo de elaboração que contou com uma assessoria pedagógica, elaborando roteiro para que os capítulos pudessem ter uma estrutura padronizada. Os textos foram revisados pelos editores e pela assessoria pedagógica e, em seguida, submetidos à leitura de docentes e discentes da área da saúde, visando incorporar olhares novos e distintos daqueles envolvidos na produção. A segunda edição que ora temos para a resenha foi ampliada por meio de um processo de oficinas com docentes que utilizaram a primeira edição em seus cursos acompanhados de seus alunos. Sabemos que rever um texto por nós conhecido torna-se cada vez mais ineficaz, ficamos cegos, lemos nossa lembrança. A estratégia adotada permite um diálogo enriquecedor para os autores e também para quem participa das discussões.

Os capítulos apresentam definições dos termos mais importantes e textos em destaques que contextualizam o tema tratado. A diagramação faz com que não se perca o fluxo da leitura. As chamadas para os textos adicionais são sinalizadas com letras em vermelho. Chama ainda a atenção que os capítulos trazem algumas perguntas em caixas de texto intituladas Para Refletir. Motivam a releitura, aprofundam o pensamento. Outro aspecto que imagino ter sido trabalhoso para os editores, mas que resulta fundamental para os alunos é a referência que um capítulo faz a temas correlatos ou complementares nos outros. Cada capítulo auxilia o aluno que necessitar aprofundar os conceitos, apresentando uma lista de leituras recomendadas, sites de interesse e, claro, as referências utilizadas na elaboração do capítulo. A preocupação pedagógica aparece em cada detalhe.

O livro é organizado em cinco partes que denotam a abrangência pretendida de obra de referência: I – Proteção Social, Políticas e Determinantes de Saúde, II – Saúde como Setor de Atividade Econômica, III – Sistema de Saúde Brasileiro: História e Configuração Atual, IV – Sistema Único de Saúde: Setores de Atenção e V – Temas Relevantes em Políticas e Sistemas de Saúde.

É importante ressaltar que, ao lado de temas fundamentais, o estudo das políticas e da política de saúde, foram incorporados temas mais recentes no debate como a concepção da saúde como setor econômico gerador de emprego, riqueza, mas também um importante item na dependência externa a tecnologias, exigindo do país importação de medicamentos e equipamentos para o cuidado em saúde. A superação de tal dependência tem estimulado processos de inovação no setor de saúde no país, elemento fundamental para o desenvolvimento nacional. Assume a necessidade de "superar falsas dicotomias entre os interesses sanitários e econômicos" e desenvolve seus argumentos nesse sentido.

A saúde suplementar é tema de um capítulo da terceira parte ao lado daqueles que abordam a história da conformação do sistema brasileiro, da reforma sanitária, da conformação do SUS e claro um capítulo sobre a questão sempre desafiadora do financiamento.

A última parte apresenta um conjunto de temas que atravessam a formulação e o cotidiano do fazer saúde num sistema desafiador como o brasileiro: Bioética, Participação Social – um dos preceitos do SUS, a formação dos profissionais de saúde – tema que se articula com o capítulo sobre trabalho e emprego em saúde, os impactos e as respostas do sistema ao drama da violência. Aborda algumas políticas específicas para as mulheres, como o enfrentamento da AIDS. Outro tema inovador é a abordagem da Saúde e Ambiente, não só pelo reconhecimento da influência do ambiente como protetor ou contribuinte para a saúde, mas na compreensão ampliada da articulação do desenvolvimento com o ambiente – como um sistema ecológico e a saúde humana em sua expressão coletiva.

Para terminar, uma outra confidência, a leitura desses conteúdos serviu como uma revisão muito apropriada dos conceitos da área de política, agregando alguns conhecimentos que não tivera oportunidade de sistematizar. Fruto da leitura para a resenha, tive a oportunidade de recomentar a leitura de alguns capítulos com os alunos de mestrado, assim me inscrevo entre os docentes que estão adotando este importante livro de referência para a discussão das Políticas e Sistema de Saúde no Brasil.

 

 

Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: cadernos@ensp.fiocruz.br