• From ‘Me’ to ‘Us’: solidarity and biocitizenship in the Brazilian cancer precision medicine innovation system Original Article

    Sousa, Maria Sharmila Alina de; Gallian, Dante Marcello Claramonte; Maciel, Rui Monteiro de Barros

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Ao passo em que as inovações biotecnológicas migram da bancada para o leito e, mais recentemente, também para a Internet, uma miríade de desafios e potenciais pode surgir em contextos socioculturais e político-econômicos distintos. Usando um estudo de caso inspirado na teoria embasada em dados focado no consórcio de pesquisa brasileiro sobre a Neoplasia Endócrina Múltipla do Tipo 2 (BrasMEN) – uma síndrome rara em que testes genéticos definem intervenções custo-efetivas – ressaltamos facilitadores e barreiras para ambos desenvolvimento e implementação de uma estratégia de genômica em saúde pública no cenário de um país em desenvolvimento. O estudo foi baseado em observação participante em três centros e entrevistas com todos que podem ter um interesse sobre a MEN2 no Brasil. Discutimos como uma motivação baseada em ‘solidariedade’ para uma ‘biocidadania’ individual e coletiva está impulsionando ações preventivas nas pessoas para acessar e fazer com que cuidados em saúde personalizados sejam disponibilizados no Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil via a ‘coprodução’ de ciência, tecnologia e a cultura para medicina de precisão – denominado sistema de inovação biomédico brasileiro ‘escondido’. Dado o estabelecimento do BrasMEN como ‘redes de solidariedade’ – promovendo e apoiando a abordagem da medicina de precisão em câncer – nossos dados ilustram como uma série de novos desafios bioéticos surgem desse engajamento com a genômica do câncer familiar no cenário de país em desenvolvimento brasileiro e como esta tecnologia social/leve constitui uma solução para sociedades europeias e norte-americanas.

    Abstract in English:

    ABSTRACT As biotechnology innovations move from the bench to the bedside and, recently, also to the Internet, a myriad of emanating challenges and potentials may rise under distinct sociocultural and political economic contexts. Using a grounded-theory-inspired case study focused on the Brazilian research consortium for Medullary Endocrine Neoplasia type 2 (BrasMEN) – an inherited syndrome where genetic tests define cost-effective interventions – we outline facilitators and barriers to both development and implementation of a ‘public health genomics’ strategy under a developing country scenario. The study is based on participant observation at three centres and interviews with all who might hold an interest in MEN2 around Brazil. We discuss how a ‘solidarity’-based motivation for individual and collective ‘biocitizenship’ is driving people’s pre-emptive actions for accessing and making personalised healthcare available at Brazil’s Unified Health System (SUS) via the ‘co-production’ of science, technology and the culture for precision medicine – termed Brazil’s ‘hidden’ biomedical innovation system. Given the establishment of BrasMEN as ‘solidarity networks’ – promoting and supporting the cancer precision medicine’s rationale – our data illustrates how a series of new bioethical challenges raise from such engagement with familial cancer genomics under Brazil’s developing country scenario and how this social/soft technology constitute a solution for Euro/North American societies.
Centro Brasileiro de Estudos de Saúde RJ - Brazil
E-mail: revista@saudeemdebate.org.br